12.30.2008

Para Além... Da Costa Norte...


<<<>>>





Para Além... Da Costa Norte...



...Novo Projecto De Energia
.
Das Ondas...



Parceria luso-espanhola investe 12 milhões em São Pedro de Moel
O grupo FDO anunciou, hoje, que vai avançar, em parceria com a Hidroflot, com um projecto de energia de ondas de 4 megawatts (MW) em São Pedro de Moel num investimento de cerca de 12 milhões de euros. Um comunicado do grupo, com sede em Braga, dá conta da assinatura, através da participada Urbancraft, de uma parceria com a espanhola Hidroflot para desenvolver parques de energia das ondas em Portugal. (Lusa/siconline)


"O primeiro projecto resultante desta parceria - um módulo inicial de 4 MW, num investimento que ronda os 12 milhões de euros - deverá ser instalado na zona piloto agora criada pelo Governo, situada ao largo de São Pedro de Moel, entre os portos de Peniche e Figueira da Foz", refere a empresa. O módulo será englobado numa área de 320 quilómetros quadrados, a partir dos 30 metros de profundidade e até aos 90 metros, acrescenta. A zona piloto de São Pedro de Moel vai ter uma potência instalada total de 80 MW, prevendo-se que posteriormente chegue aos 250 MW. No comunicado, a Urbancraft afirma que pretende acrescentar valor à empresa e participar activamente no desenvolvimento de um "cluster" nesta área através da parceria com a Hidroflot, empresa de engenharia ligada às energias renováveis, com sede em Barcelona. A empresa considera que a energia das ondas é uma das energias do futuro e que Portugal apresenta condições muito favoráveis para se tornar uma referência nesta energia. O Grupo FDO, fundado em 1980, tem como principais áreas de negócio os sectores da Construção Civil e Obras Públicas, Promoção Imobiliária, Centros Comerciais, Hotelaria, Serviços e Parques de Estacionamento, Ambiente e Energia.



<><><><><>


12.28.2008

Para Além... Das Intolerâncias...



<<><>o<><>>





Para Além... Das Intolerâncias...

... País Exemplar Na Integração
.
Religiosa...


Religiões:

Portugal é um país exemplar no que diz respeito à integração da comunidade islâmica, defenderam hoje vários especialistas numa conferência sobre o "Islão e a Cidadania", organizada pelo Centro Português de Estudos Árabes-Pulaar e Cultura Islâmica.

Comunidade muçulmana sente-se integrada no país
"Portugal é uma arca de Noé, as pessoas estão integradas, as comunidades estão integradas e acho que a política de integração é uma política correcta. Não vejo que haja problemas de integração do muçulmano e do estrangeiro em Portugal", defendeu Raúl Braga Pires, investigador do Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto, em declarações à Lusa, à margem da conferência, que decorre durante o dia de hoje no auditório da Câmara Municipal de Almada. O presidente do Centro Português de Estudos Árabes-Pulaar e Cultura Islâmica, por seu lado, lembrou que "noutros países europeus se ouve falar de conflitos e de grandes problemas entre etnias ou entre religiões, nomeadamente entre a religião islâmica e outras religiões". Situação que, no entender de Bubacar Baldé, não acontece em Portugal. "Aqui em Portugal, da experiência que eu tenho, não há nenhuma pessoa que tenha sido agredida ou pressionada ou a quem tenham dito uma palavra má por ser muçulmano", afirmou. Aliás, para Bubacar Baldé, em Portugal passa-se exactamente o oposto. "O Governo português e as instituições portuguesas estão a apoiar os muçulmanos para poderem gozar os seus direitos cívicos e religiosos aqui em Portugal". O que o presidente do Centro Português de Estudos Árabes-Pulaar e Cultura Islâmica explica com a relação histórica e geográfica que Portugal tem com o mundo islâmico. "Desde o século VII que o Islão entrou aqui em Portugal e Portugal foi porta de entrada do Islão na Europa através de Gibraltar para a Espanha e toda esta zona chamava-se Andaluz", lembrou. "Desde essa altura há uma grande mistura e a cultura portuguesa, mesmo a fisionomia portuguesa, tem sangue árabe e muçulmano", acrescentou, sublinhando ainda que "na língua portuguesa há muitas palavras que são islâmicas".
Também presente na conferência, o professor da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, António Mendes, convidado para discursar sobre o "Cristianismo e a Cidadania", defendeu que Islão e Cristianismo, em Portugal, podem não ter ainda a relação "que deviam ter", mas "têm uma boa relação". "As grandes religiões têm todas o mesmo objectivo, são é caminhos diferentes para chegar ao mesmo sítio. O importante é ultrapassar divergências e chegarmos à conclusão que queremos todos a mesma coisa, que é criar um mundo mais harmonioso, mais fraterno e equilibrado e criarmos uma cultura de paz", rematou António Mendes. (Com Lusa/siconline)


<<<<>>>>


12.23.2008

Para Além... Do "Prémio Camões"...




<><><>0<><><>



Para Além... Do "Prémio Camões"...


...Prémio Clube Literário do Porto...


O escritor António Lobo Antunes foi distinguido com o Prémio Clube Literário do Porto, com um valor pecuniário de 25.000 euros. (Lusa/siconline)

Esta é a quarta edição do prémio, que nas anteriores distinguiu os escritores Mário Cláudio, Armando Baptista Bastos e Miguel Sousa Tavares. O prémio será entregue ao escritor no sábado, pelas 22h00, na sede do Clube, á Rua Nova da Alfândega. "O prémio anual do Clube Literário do Porto é atribuído nos termos do respectivo regulamento, por concurso de ideias e sugestões, visando galardoar o autor que mais criatividade teve na narrativa e ficção", segundo nota da instituição portuense. Lobo Antunes recebeu no mês passado, na cidade mexicana de Guadalajara, o Prémio Literatura em Línguas Romances 2008, no âmbito da XXII Feira Internacional do Livro. Distinguido com o Prémio Camões em 2008, Lobo Antunes, afirmou recentemente, numa tertúlia literária, que escrever é a sua "razão de viver", "alegria", "sina", "escolha" e afirmou-se "assombrado" com pessoas que escrevem livros em dois meses. "Escrever é a minha razão de viver, a minha alegria, a minha sina, o que eu escolhi quando tinha 5 anos", disse o autor de "Memória de Elefante" (1979) e "Fado Alexandrino", entre outros títulos.
"O arquipélago da insónia" é o seu mais recente romance.



<<<<>>>>


12.21.2008

Para Além...Do Já Conhecido....



-
<><><><>



Para Além...
.
Do Já Conhecido....

...Acontecimentos Científicos Do Ano...



Science elege células estaminais e exoplanetas
A possibilidade da produção de células estaminais por reprogramação de células humanas adultas, no dese
nvolvimento de um processo descoberto em 2006, foi considerada o acontecimento científico do ano pela redacção da revista norte-americana Science. O segundo maior acontecimento científico foi a descoberta de planetas fora do Sistema Solar. (Lusa/siconline)

Entre os mais de 300 "exoplanetas" descobertos, o telescópio espacial Hubble detectou dióxido de carbono num deles, o HD 189733b, de tamanho semelhante ao de Júpiter. A descoberta foi considerada pela NASA com um grande avanço na busca de elementos de vida noutros mundos fora do Sistema Solar.


Mas o primeiro lugar foi para A possibilidade da produção de células estaminais por reprogramação de células humanas adultas. Para justificar a escolha, a Science explica que ela "augura novos avanços da Medicina que poderão salvar vidas". Domingos Henrique, chefe da Unidade de Biologia do Desenvolvimento do Instituto de Medicina Molecular (IMM) da Faculdade de medicina da Universidade de Lisboa, considerou a descoberta do mecanismo de produção das IPS tão importante "que não faltará muito tempo para que o seu autor, o japonês Shinya Yamanaka, ganhe um Prémio Nobel". "A descoberta das IPS representa uma revolução, porque significa a possibilidade de reprogramar as células somáticas diferenciadas, que já não se dividem, de modo a voltar a obter células estaminais embrionárias", explicou Domingos Henrique. No desenvolvimento desta investigação, cientistas do Instituto Whitehead, nos Estados Unidos, anunciaram já este mês ter conseguido simplificar a criação destas células pluripotentes ao reduzirem de quatro para um o número de vírus usados no processo de reprogramação. Anteriormente eram precisos quatro vírus separados para transferir genes para o ADN das células, sendo que, uma vez activados, são esses genes que fazem passar as células do seu estado adulto, diferenciado, para o de células do tipo embrionário. Por terem a mesma capacidade de diferenciação das embrionárias, estas células poderão no futuro ser usadas para tratar doenças como a de Parkinson e a diabetes de tipo 1. O estudo das células IPS teve início em 2006 quando cientistas da Universidade de Quioto, no Japão, liderados por Shinya Yamanaka, anunciaram a reprogramação de células da pele do ratinho em células muito semelhantes a células estaminiais embrionárias. Posteriormente, em 2007, cientistas norte-americanos e japoneses obtiveram o mesmo resultado com células da pele humana e já este ano foi conhecido outro avanço, quando cientistas norte-americanos transformaram em IPC células da pele de doentes com esclerose lateral amiotrófica (ELA), uma doença neurodegenerativa sem cura, tendo depois induzido a sua diferenciação em neurónios motores como os destruídos pela doença.


Outros grandes acontecimentos:


Outros importantes acontecimentos científicos do ano foram, segundo a Science, os seguintes: Ampliação dos genes do cancro: ao conseguirem sequenciar diversos tipos de células cancerígenas, incluindo do cancro do pâncreas e o glioblastoma (os mais mortais), os cientistas descobriram dezenas de mutações que geram a divisão celular e dão origem à doença.

Avanços na tecnologia do genoma: foi conhecida este ano uma série de sequenciações, desde as do genoma do mamute até ao de doentes de cancro, através de tecnologias mais rápidas e baratas do que as foram usadas no passado para determinar a sequência do genoma humano.
.
O embrião em vídeo: em 2008 foi possível observar com pormenores sem precedentes a actividade das células num embrião em pleno desenvolvimento. Além disso, os investigadores registaram em vídeo e analisaram os movimentos das cerca de 16.000 células integrantes do embrião do peixe zebra a partir do primeiro dia após a concepção.

Novos materiais: os cientistas anunciaram este ano a descoberta de toda uma família de supercondutores a altas temperaturas consistentes em compostos de ferro, em vez de cobre e oxigénio.

Energia renovável a pedido do cliente: os investigadores anunciaram um novo instrumento para armazenar à escala industrial a electricidade gerada em excesso por fontes renováveis como a eólica e a solar. Trata-se de um catalizador de cobalto e fósforo que pode usar electricidade para separar o hidrogénio da água, que pode ser novamente usado para produzir energia.

O trabalho das proteínas: os bioquímicos observaram a forma como as proteínas aderem às células, alteram o seu estado metabólico e contribuem para dar forma às propriedades do tecido.



<<<<>>>>



12.19.2008

Para Além... De Território Protegido...

.

<><><>0<><><>


Para Além... De Território
.
Protegido...



...Mais Medidas Para A Preservação...


Lince Ibérico:
Cientistas propõem salvar lince ibérico recuperando diversidade genética do coelho na Península ibérica.
Cientistas portu
gueses e espanhóis propõem uma nova estratégia para salvar da extinção o lince ibérico assente na recuperação da diversidade genética do coelho, a sua principal presa, e do seu habitat natural.

A proposta é apresentada por Márcia Barbosa e colegas das universidades de Évora, Málaga e da Estação Biológica de Doana num estudo a publicar na revista científica internacional Diversity and Distribution, especializada em biogeografia da conservação. O felino mais ameaçado de extinção em todo o mundo alimentava-se até ao século passado de duas linhagens genéticas de coelho com habitat em duas zonas distintas da Península Ibérica, uma situada no nordeste e outra no sudoeste. Os dois animais surgiram aproximadamente ao mesmo tempo na península e evoluíram em conjunto ao longo do último milhão de anos, período durante o qual estabeleceram inter-relações complexas cuja preservação é agora defendida pelos cientistas. Devido a doenças, a população de coelhos do nordeste sofreu nos anos 1980 uma redução drástica que foi acompanhada por um declínio da população de linces, tendo estes passado a ficar confinados ao sudoeste, numa área que abrange Espanha e Portugal. As duas zonas geográficas são, grosso modo, separadas por uma diagonal situada entre Vigo e Múrcia, sendo que o lince foi ficando relegado à parte esquerda desta diagonal e, mais recentemente, ao sul desta área. Perante esta situação, a equipa de investigadores procurou saber se o declínio do lince seria apenas um problema de falta de coelhos ou também, como suspeitavam, de falta de diversidade desta presa. Para testar esta hipótese desenvolveram dois modelos matemáticos, um para cada espécie, em que relacionaram conjuntos de factores ambientais, como o clima e o estado dos solos, com a abundância da população. Os modelos foram depois usados para testar se a razão principal do declínio do lince eram variações ambientais ou variações nas populações de coelhos, tendo a conclusão apontado fortemente para a última hipótese. A equipa constatou também uma associação negativa entre a linhagem de coelhos do sudoeste, a única actualmente ao dispor do lince, e as condições óptimas de vida do coelho, sugerindo que esta subespécie não está a prosperar, contrariamente à do nordeste, o que compromete ainda mais a situação do lince. "Os planos de conservação actuais consistem em tentar manter ou reintroduzir o lince no sudoeste, com a ajuda de repovoamento de coelhos, mas os resultados não têm sido satisfatórios", disse à Lusa Márcia Barbosa, que durante o estudo estava a fazer o seu doutoramento na Universidade de Málaga (Espanha). "Propomos complementar isto com reintroduções de lince também em zonas mais a nordeste, de onde o lince se extinguiu há mais tempo, mas onde os coelhos hoje em dia parecem estar a dar-se melhor", afirmou. "Isso permitiria ao lince contar com toda a diversidade natural da sua presa", acrescentou. O objectivo é restabelecer as antigas inter-relações entre os dois animais, de modo a que o lince volte a contar, como no passado, com ambas as linhagens genéticas do coelho, reduzindo-se desse modo o risco de doenças ou mudanças ambientais que prejudiquem mais uma raça do que a outra. "Já é bastante arriscado para um predador limitar-se a uma só espécie de presa, mas quando o lince se viu restringido ao quadrante sudoeste da península ficou também restringido a uma das duas raças de coelho, aumentando ainda mais o risco", acrescentou a investigadora. "Vieram depois as doenças do coelho, que ainda por cima parecem ter afectado mais a raça do sudoeste, e ficou o caldo entornado", comentou. Para outro dos autores do estudo, Raimundo Real, do Departamento de Biologia Animal da Faculdade de Ciências da Universidade de Málaga, "há também que ter em conta que o coelho tem uma estratégia reprodutora muito diferente da do lince e pode recuperar depois de vários anos de declínio". "É que se durante vários anos seguidos as populações de coelho escassearem, o lince poderá extinguir-se localmente", referiu o investigador espanhol à Lusa. Associadas a este estudo estão a Estação Biológica de Doana, a Universidade de Málaga, o Imperial College de Londres e a Universidade de Évora. Márcia Barbosa participou no trabalho na Universidade de Málaga, quando estava a fazer o doutoramento, depois no Imperial College de Londres, onde faz actualmente um pós-doutoramento, e na Universidade de Évora, para onde se muda em Fevereiro. O estudo foi financiado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia espanhol, o FEDER e a Junta da Andaluzia, sendo Márcia Barbosa apoiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia. (Com Lusa/siconline)



<<<<<>>>>>



12.14.2008

Para Além...: Os Direitos Das Crianças...

.

<<<<>>>>



Para Além...: Os Direitos
.
Das Crianças...



"Todas as crianças e cada uma delas têm os mesmos direitos"
UNICEF lança site para os mais pequenos, em língua portuguesa
O Fundo das Naç
ões Unidas para a Infância (UNICEF) no Brasil lançou quinta-feira um site infantil em língua portuguesa, o primeiro da organização integralmente voltado para crianças.

"Por ser o primeiro sítio infantil do UNICEF em língua portuguesa, esperamos que meninas e meninos que falam português ao redor do mundo possam também visitar o www.unicefkids.org.br para aprender sobre os seus direitos. Afinal, todas as crianças e cada uma delas têm os mesmos direitos", disse à Lusa a representante da organização no Brasil. Segundo Marie-Pierre Poirier, o UNICEF Kids poderá ser ainda um espaço seguro para que as crianças dos países de língua portuguesa se encontrem e façam novas amizades intercontinentais. O UNICEF Kids traz, de forma lúdica, informações sobre os direitos da criança e do adolescente e sobre a necessidade destes serem prioridade absoluta nas políticas públicas. A página electrónica, alegre e colorida, ensina ainda como proteger-se do HIV/Sida, como é a formação do povo brasileiro, a importância de aprender e de crescer sem violência. O site é ilustrado com fotos de crianças e adolescentes que participam de projectos apoiados pela UNICEF no Brasil. São meninos e meninas em situações reais, estudando, brincando e junto de amigos e famílias. "Quisemos mostrar crianças reais, como aquelas que visitarão o nosso sítio - meninas e meninos das mais diferentes idades, das mais diferentes etnias e regiões do Brasil, com e sem deficiência. As nossas crianças de verdade", salientou Marie-Pierre. A página apresenta ainda o trabalho da UNICEF no Brasil e no mundo e oferece jogos, desenhos para colorir, testes, vídeos, inquéritos, fóruns, curiosidades e histórias. As crianças poderão também descarregar papéis de parede e enviar cartões para a sua família e amigos. De acordo com a UNICEF, as crianças, além de aprenderem sobre os seus direitos de forma fácil e divertida, poderão expressar a sua opinião sobre questões que afectam a sua vida. "A Convenção sobre os Direitos da Criança assegura a cada menina e cada menino o direito à informação e à liberdade de expressão", sublinha a organização.



<><><><><>


12.10.2008

Para Além... No Centro Da Galáxia...


<><><>





Para Além... No Centro

Da Galáxia...


...Buraco Negro Gigante...


Descoberto buraco negro gigante no centro da nossa galáxia ao fim de 16 anos de pesquisa.
Foi finalmente encontrado o que se suspeitava: no centro da Via Láctea existe um buraco negro gigante que gera uma força gravitacional suficiente para manter a unidade da nossa galáxia. (Catarina Solano de Almeida_Jornalista/siconline)
Sagitário A* é o nome do enorme buraco negro a 27 mil anos-luz da Terra descoberto por investigadores do Instituto alemão Max Planck com a ajuda dos telescópios de longo alcance da Organização Europeia para a Investigação Astronómica no Hemisfério Austral (ESO), localizados no Chile. Desde 1992 que a equipa do astrónomo Reinhard Genzel perseguia o rasto de 28 jovens estrelas que orbitavam com uma precisão surpreendente no centro da Via Láctea, a galáxia a que pertence o nosso Sistema Solar. Os buracos negros do Universo são regiões com uma força gravitacional tão forte que nada – incluindo a luz – lhes consegue escapar. Têm uma massa milhões ou milhares de milhões de vezes superior à do Sol. Neste caso, este buraco tem uma massa quatro milhões superior à do nosso Sol. “O centro da galáxia é um laboratório único onde podemos estudar a gravidade, as dinâmicas estelares e a formação das estrelas”, salienta Reinhard Genzel na investigação publicada no The Astrophysical Journal. Vão ser ainda necessários anos de estudo para que os astrónomos consigam provar aquilo que suspeitam: apesar da enorme força, os buracos negros serão os responsáveis pela formação das galáxias. Não apenas da nossa, mas de todas as galáxias do Universo.



<<<<>>>>


12.09.2008

Para Além... Da Celebração Dos 60 Anos...


<<<<><><>>>>




Para Além... Da Celebração Dos
.
60 Anos...


...Amnistia Internacional Pede
.
Mais Acções..


Declaração Universal dos Direitos Humanos:
AI pede acção e não apenas celebração no 60º aniversário
A Amnistia Internacional (AI) apelou, hoje, aos governos para que o 60º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos - que se celebra quarta-feira - seja uma "data de acção e não apenas de celebração". A organização sedeada na capital britânica insta os governos
a proteger os direitos económicos e sociais com o mesmo vigor com que são protegidos os direitos políticos e civis. (SIConline)

Segundo a secretária-geral da organização, Irene Khan, entre as situações a exigir acção firme estão "as mortes sem sentido" de dezenas de civis nos recentes atentados terroristas em Bombaim (oeste da Índia), os milhares de desalojados pela guerra na República Democrática do Congo (RDCongo), ou na província sudanesa de Darfur (oeste), onde as populações vivem em "condições extremas". São ainda citados os casos dos palestinianos na Faixa de Gaza, e do norte do Sri Lanka, onde habita a minoria Tamil (hindu) perseguida pelo governo budista de Colombo. A AI deplora, ainda, a recessão económica global que pode empurrar muitos mais milhões de pessoas para a pobreza. De acordo com Khan, "apesar do progresso verificados em várias áreas nas últimas décadas, a injustiça, desigualdade e impunidade persistem em muitas partes do mundo", residindo o problema no facto de "os governos fazerem promessas e aprovarem leis, mas falharem no seu cumprimento".
"O contributo da DUDH é a universalidade e a indivisibilidade. Os direitos humanos são universais – todos os indivíduos nascem livres e iguais em direitos e dignidade. Os direitos humanos são indivisíveis, todos os direitos, sejam eles económicos, sociais, civis, políticos ou culturais – são igualmente importantes não existe qualquer hierarquia de direitos", sustenta Irene Khan. "Já é altura de os governos corrigirem seis décadas de falhas ao nível dos direitos humanos e do incumprimento das suas promessas", salienta o texto.


<<<<>>>>

12.07.2008

Para Além... Das Crenças Religiosas...




Para Além... Do Budismo.


...Caminho Para Uma Vida Digna...



Budismo: meditação, generosidade e cinco princípios básicos fazem o caminho para «uma vida digna»
O caminho para «uma vida digna» faz-se através da meditação, da generosidade para com todos os seres vivos e do cumprimento de cinco regras, para sentir que vida foi uma bênção, ensinou hoje um monge budista em Lisboa
Ajahn Vajiro, membro da comunidade monástica de Amaravati, na Tailândia, veio a Portugal tentar ensinar aquilo que para ele são os princípios básicos da doutrina budista numa conferência sobre «Uma vida digna», iniciativa organizada pela Fundação Maitreya e enquadrada na Festa da Tailândia que o Museu do Oriente leva a cabo durante o mês de Dezembro.
Para este monge budista nascido em Kuala Lumpur, na Malásia, ser generoso é essencial e praticar a generosidade deve ser o primeiro passo na busca por uma «vida digna».«Sejam generosos, pratiquem a generosidade porque uma das coisas mais maravilhosas é que qualquer acto de generosidade, mesmo para com um insecto, é um benefício para nós próprios», defendeu Ajahn Vajiro.

Por outro lado, recomenda «vivamente» a meditação, parte importante na educação budista e que Ajahn Vajiro entende ser um acto natural de todos os seres humanos.«É uma forma de encontrarmos uma maneira de nos protegermos a nós próprios para conseguirmos explorar o nosso universo particular sem termos medo», defendeu.
Perante uma plateia com algumas dezenas de pessoas, o monge budista enunciou depois cinco princípios básicos que devem conduzir todas as vidas: Não matar, não tirar nada que não nos tenha sido dado, não usar a sexualidade como uma forma de exploração, condenando o adultério ou a pedofilia, não mentir e não tomar substâncias «intoxicantes» como o álcool ou drogas.«Estou a falar de um treino, não se trata de pecados porque quando treinamos admitimos que cometemos erros. Só as pessoas estúpidas é que pensam que não cometem erros. Quando começamos a ser um bocadinho inteligentes admitimos que erramos e depois tentamos parar de fazer erros e aí tentamos aprender com os erros dos outros», defendeu.
No final, Ajahn Vajiro explicou que o objectivo final é sentir que a vida não foi um desperdício, mas antes uma bênção não só para quem segue os princípios, mas também para as pessoas que o rodeiam.


<<<><>>>


12.06.2008

Para Além... De Leis Marciais...


<><><>0<><><>

.
Para Além... De Leis Marciais...

...Nova Esperança...




Dalai Lama, líder espiritual do Tibete, reúne-se com Sarkozy:
Os seguidores do Dalai Lama consideram que a reunião prevista para este sábado entre o líder espiritual do Tibete e o chefe do Estado francês, Nicolas Sarkozy, representa um sinal "muito forte" para todos os tibetanos. (Lusa/siconline)
É a primeira vez que um presidente da França recebe publicamente o Dalai Lama", afirmou um dos seus representantes, Wangpo Bashi, em declarações à cadeia de rádio France Info. A reunião, prevista para Varsóvia, capital da Polónia, "será um sinal muito forte para os tibetanos, para nossos compatriotas que lutam (...) desde há muito tempo", sublinhou Bashi. Sarkozy e o Dalai Lama assistem, em Varsóvia, ao 25º aniversário da premiação de Lech Walesa com o Nobel da Paz. O representante do Dalai Lama adiantou que seu líder insistirá, na reunião com Sarkozy, na questão dos Direitos Humanos e sobre tudo o que se refira ao Tibet, onde vigora uma "lei marcial" imposta pelas autoridades chinesas. A decisão de Sarkozy em reunir-se com o Dalai Lama provocou uma reacção imediata de Pequim, que suspendeu a uma reunião com a União Europeia - da qual a França tem actualmente a presidência - que deveria ter acontecido a 01 de Dezembro, em Lyon.
.
.
<<<<>>>>
.
.

12.05.2008

Para Além... De sermos Iguais...


<><><><>




Para Além... De Sermos Iguais...

..."Ser Diferente É Bom"...


Literatura infantil “Ser diferente é bom” nas livrarias este sábado.
A escritora Sónia Pessoa é a autora do livro infantil "Ser diferente é bom", o primeiro de uma colecção que aborda a diferença como "uma mais valia num mundo, onde a diversidade nos rodeia", afirmou a autora à Lusa. (Lusa/siconline)

A diversidade cultural e até a homossexualidade são temas focados neste primeiro livro que será apresentado dia 6 de Dezembro, na FNAC-Alfragide e que, de acordo com Sónia Pessoa, "nasceu da vontade de realizar um sonho e do desejo de mudar o mundo através das crianças". "Por isso, para mim escrever sobre a Maria que tem dois papás, o Pedro que tem um papá e uma mamã, ou um menino que veio da Roménia para um país que não conhece à procura de um futuro melhor, faz todo o sentido", afirmou. "Ser diferente é bom" é a primeira de algumas histórias que Sónia Pessoa escreveu sobre ser diferente. "O objectivo destas histórias, para além de encantar (porque não deixam de ser histórias também de encantar) é ensinar às nossas crianças e aos pais que cada vez mais vivemos num mundo onde a diversidade nos enriquece como seres humanos e devemos, por isso, respeitá-la". Entende a autora que, "mais importante do que ensinar-lhes que somos todos iguais, é ensinar-lhes que somos todos diferentes e só temos a ganhar com isso. São as diferenças que nos distinguem uns dos outros, e que nos ensinam que o outro não é melhor ou pior que eu, só diferente, e isso é bom". "Ensinar estes valores do amor, da verdade, da segurança ou da diferença, deve ser feito quando eles são crianças, pois é nessa altura que para eles ser branco, preto, amarelo ou vermelho não faz, na verdade, diferença nenhuma, desde que sejam amados como têm o direito de o ser", acrescentou.
O livro tem o prefácio da psicóloga Gabriela Moita. Sónia Pessoa nasceu no Porto, em 1969. Em 1988 ingressou na Escola Superior de Jornalismo onde tirou o Curso Superior de Comunicação Social. Foi técnica-operadora de rádio na Rádio Placard no Porto, mas a paixão pelas letras levaram-na num rumo diferente e, em 1991, integrou a equipa da redacção do Jornal Público, da mesma cidade. A paixão pela escrita esteve sempre presente na sua vida, mas só em 2005 cumpriu o desejo de escrever um livro "Ser diferente é bom", editada pela Papiro Editora, será apresentada a 06 de Dezembro na FNAC Alfragide e a 13 de Dezembro no Gaiashopping.


<<<<<>>>>>

12.04.2008

Para Além... "Desta" Poluição Sonora...

.
<<<<<>>>>>


Para Além... "Desta" Poluição
.
Sonora...


...Ameaça Submarina...


Alerta das Nações Unidas:
Espécies submarinas ameaçadas pelo aumento da poluição sonora
O aumento da poluição sonora nos Oceanos, em parte causada por gases com efeito de estufa que aumentam a acidez da água, põe em risco a sobrevivência de espécies submarinas, alertou quarta-feira a Organização das Nações Unidas (ONU). Lusa/siconline)


O alerta foi deixado na abertura da Convenção Sobre as Espécies Migratórias, que decorre até sexta-feira, na sede da Organização da ONU para Alimentação e Agricultura (FAO), em Roma, Itália. Segundo os especialistas, o aumento da 'cacofonia marinha' originada pelo homem representa um grave problema para as espécies submarinas, sobretudo para os mamíferos, como as baleias, que comunicam através de sons. "O barulho submarino causado pelo homem já provocou uma espécie de nevoeiro acústico e uma cacofonia de som em muitas partes dos mares e oceanos do Mundo", alertou o director cientifico da Sociedade para a Preservação dos Golfinhos e Baleias, Mark Simmonds, em comunicado da FAO. Nesse sentido, o Programa da ONU para Ambiente (PNUMA), exigiu aos Governos e às indústrias que adoptem medidas para reduzir estes efeitos, como a utilização de motores mais silenciosos ou medidas mais restritivas no uso de testes sísmicos para prospecção de petróleo e gás. Os especialistas da ONU também lembram que os gases com efeito de estufa aumentam os níveis de acidez dos oceanos, o que, por sua vez, aumenta a velocidade de propagação dos sons na água, perturbando a comunicação de vários mamíferos marinhos. A menos que se reduzam as emissões poluentes, estimam, os níveis de acidez marinha podem chegar, em 2050, a um ponto em que o barulho dos navios chegue a distâncias 70 por cento maiores. Os cientistas vão propor aos 110 países signatários da Convenção que adoptem uma resolução para reduzir o impacto do barulho nos oceanos sobre as espécies mais vulneráveis


<>>><><<<>

12.01.2008

Para Além... Do Tratado De Quioto...



<<<<<>>>>>
.

Para Além... Do Tratado
.
De Quioto...


Cimeira das Nações Unidas
.
sobre as alterações climáticas



O tratado, que deve substituir o Protocolo de Quioto, será negociado por cerca de 185 países.
Arranca
hoje na Polónia a cimeira das Nações Unidas sobre as alterações climáticas. Representantes de mais de 180 países vão continuar as negociações sobre o tratado que vai subsituir o Protocolo de Quioto, depois de 2012.

O novo tratado para combater as alterações climáticas é o principal tema em cima da mesa. Cerca de 9 mil delegados de 185 países vão reunir-se na Polónia para a cimeira das Nações Unidas, durante 12 dias. No encontro, vão prosseguir as negociações sobre o documento que deve subsituir o Protocolo de Quioto. Mas como a administração de Barack Obama ainda não assumiu funções, a Comissão Europeia duvida que da reunião saia já um tratado conclusivo. Numa altura em que o mundo atravessa uma crise financeira, os custos de defender o planeta podem parecer ainda mais elevados para os dirigentes. Já os especialistas em clima consideram a actual situação económica uma oportunidade. Durante 12 dias de trabalho as Nações Unidas vão procurar definir as metas ambientais obrigatórias para depois de 2012. Reduzir o uso de combutíveis fósseis como o carvão e o petróleo, reciclar mteriais e obrigar as industrias a métodos de produção mais eficientes são algumas das medidas que os especialistas apontam como essenciais para tentar travar o aquecimento do planeta. Esta encontro na Polónia é mais um passo antes da realização da cimeira de Copenhaga, na Dinamarca, no próximo ano,deve ser assinado um acordo internacional pós-Quioto.
.
.
.
>><><><><><<
.
.
.

11.28.2008

Para Além... De DIferendos Religiosos...



<><><>o<><><>

Para Além... De Diferendos...


...religiões unem-se em nome
..
do clima...




Cimeira sobre Ambiente, na Suécia: religiões unem-se em nome do clima
Centenas de representantes de várias religiões do Mundo estão reunidos na Suécia para uma cimeira sobre as alterações climáticas.

A cimeira terá a duração de dois dias e reúne cristãos, muçulmanos, judeus, entre outros. O grupo pretende com o encontro encorajar o Mundo a cumprir os objectivos das políticas para o Ambiente, através de um manifesto.Segundo explica o corresponde da BBC, a falta de entusiasmo em alguns quadrantes religiosos nas questões do clima é um dos obstáculos a ultrapassar nesta cimeira."Muitos dos nossos círculos continuam a considerar este tema como periférico de segunda ordem. Isso tem de ser deslocado para a ordem do dia", declarou o Bispo anglicano de Londres, Richard Chartres.



<<<<<>>>>>


11.16.2008

Para Além De Portugal... Autismo No Poder...

.
.

<<<<>>>>



Para Além... De Portugal...


...Autismo No Poder...


Tibete: último ciclo de conversações com a China falhou
Os emissário
s do Dalai Lama, chefe espiritual no exílio do budismo tibetano, afirmaram hoje que o último ciclo de negociações com a China falhou, enquanto os tibetanos exilados estão reunidos para debater o futuro do Tibete.

As negociações confirmaram a "incapacidade do Governo chinês para responder seriamente aos esforços de Sua Santidade o Dalai Lama", disse Lodi Gyaltsen Gyari, um dos enviados especiais. A China anunciou também na passada segunda-feira que as recentes discussões com os emissários de Dalai Lama tinham falhado, acrescentando que não iria fazer "nunca concessões" sobre o estatuto da região. O Dalai Lama, 73 anos, luta por uma maior autonomia do Tibete desde 1959, data do seu exílio na Índia e continua convicto de que é possível "uma autonomia cultural e espiritual" do Tibete no seio da República Popular da China. O regime chinês acusa-o de lutar pela independência do Tibete e não por uma autonomia do antigo reino himalaico da China, como afirma o chefe espiritual no exílio.
O Prémio Nobel da Paz 1989 admitiu em Outubro ter perdido a esperança de encontrar um entendimento com a China e disse estar pronto para endurecer a sua estratégia, mesmo não tendo renunciado oficialmente ao diálogo. Cerca de meio milhar de tibetanos exilados começaram a reunir-se hoje em Dharamsala, norte da Índia, para debater uma eventual radicalização da sua luta sobre o estatuto do Tibete. Esse possível endurecimento _ a exigir a independência do Tibete ao invés de uma simples autonomia _ deve ser discutido a partir de segunda-feira e até 22 de Novembro. ( Lusa/siconline)
.
.
<><><><><>
.
.
.

11.14.2008

Para Além...Da Espagíria Alquímica...



<<<<>>>>







Para Além...Da Espagíria
.
Alquímica...
.
...Diamantes de Tequila...

No México cientistas transformaram tequilha em diamantes
A tequilha é a b
ebida mexicana mais popular, um verdadeiro tesouro para muitos apreciadores, mas três cientistas conseguiram transformá-la em algo bem mais valioso: diamantes. Um processo de cristalização permitiu criar pequenas pedras sintéticas, embora ainda demasiado pequenas para serem usadas na joalharia.(SIConline)
"Vai ser muito difícil obter algo que dê para fazer um anel, mas estes diamantes minúsculos podem servir para detectar radiações, aplicar em cutelaria ou mesmo substituir o silicone em chips electrónicos no futuro", disse Miguel Apatiga, um dos três cientistas da Universidade Autónoma Nacional do México que inventou os "diamantes de tequilha", no Verão passado.Através do vapor que emana da tequilha aquecida, os cientistas conseguirem pequenos atómos de carbono que, depositados numa base de ácido inoxidável, se tornaram pequenos cristais que podem ser observados a microscópio e que têm as qualidade dos diamantes. Desde 1995 que os cientistas tentam esta proeza: primeiro com gás metano e depois com uma mistura de 40% de etanol para 60% de água. A seguir veio a experiência com a tequilha."Um dia comprei uma garrafa e usei a tequilha nas mesmas condições que a mistura de etanol e água e tive resultados positivos. É bem verdade que usar tequilha nesta experiência dá um certo charme, mas qualquer homem de negócios me pergunta: muito bem e para que é que serve?", explica Miguel Apatiga.
As aplicações em variadas indústrias, mais do que as jóias, podem ser uma nova oportunidade para os produtores da bebida nacional. Caso contrário, continuará a ser boa fonte de rendimentos no formato tradicional: além do consumo interno, as exportações, só para o mercado dos EUA, atingem 500 milhões de dólares (400 milhões de euros) anuais.



<><><><><>

11.11.2008

Para Aquém...Do Mito...

<<<<>>>>





Para Aquém...Do Mito...

...Santo Graal...


Valência afirma ter o cálice e quer classificação pela UNESCO
Valência tem provavelmente o Santo Graal, cálice em ágata que teria sido utilizado por Jesus na Última Ceia, e especialistas reunidos, no passado domingo, na cidade espanhola, querem que a UNESCO o declare Património da Humanidade. (Lusa/siconline)

O Santo Graal é uma das mais importantes relíquias do cristianismo e a cidade espanhola de Valência, que afirma tê-lo, dedicou-lhe este fim-de-semana um congresso internacional, no 1750 aniversário da sua suposta chegada a Espanha. Do congresso resultou uma petição, que se baseia "no conjunto de argumentos apresentados neste simpósio e dado que, pelo menos, pode-se demonstrar que o Santo Cálice de Valência foi o inspirador das narrativas medievais que deram lugar ao nascimento da literatura épica europeia", para que o objecto seja considerado pela UNESCO Património da Humanidade.
A relíquia, guardada numa capela especial na Catedral de Valência, tem 17 cm de altura e muitos especialistas questionam-se se é o mesmo usado por Cristo, principalmente porque está decorado com ouro e pedras preciosas. "É compreensível esta desconfiança. Porque a todos nós vêm à mente as cenas pobres com os discípulos sentados no chão, e Jesus com um humilde cálice de barro. Mas não foi assim", disse o professor de história de Universidade de Valencia e historiador da catedral valenciana, Vicente Martínez. "O filho do carpinteiro escrevia em hebreu, era chamado de rabi (mestre em hebraico) e esteve com famílias com posses como a de Lázaro. É só consultar o Evangelho", afirmou. A relíquia sagrada em si seria apenas a parte superior do cálice, em ágata, que os arqueólogos consideram de origem oriental, criada entre os anos 50 e 100 antes de Cristo. As asas e a base de ouro com pedras preciosas são do século XVI. O cálice teria sido enviado de Roma pelo mártir São Lourenço, em 238, para que ficasse protegido, já que o santo sofria uma perseguição que o levaria à morte.



<><<<>>><>

11.09.2008

Para Além... Da Imigração...



<><><><><>


Para Além... Da Imigração...


...Língua e Cultura Chinesas em Nova Escola...


"Primeiro colégio chinês do Porto é inaugurado hoje e as aulas arrancam na próxima semana
(08.11.2006 - :, Marta Vieira/PÚBLICO/online)
A comunidade chinesa do Norte do país tem a partir de hoje um espaço onde os seus filhos podem aprend
er mandarim. As aulas arrancam já na próxima segunda-feira no Colégio Chinês, o primeiro espaço do género no Porto. O objectivo é divulgar a língua e a cultura chinesas, aproximando os filhos dos imigrantes das suas raízes.
"Colégio Chinês é um nome um bocadinho grandioso para um espaço tão pequeno", reconhece o presidente da Liga dos Chineses em Portugal (LCP), Y Ping Chow, acrescentando que essa denominação traduz "o desejo" de o criar no futuro. As duas salas de aula não chegam para fazer uma escola, mas são "o primeiro passo" nesse sentido, garante o presidente da LCP, que funda a escola.O número 135 do Largo do Dr. Tito Fontes (antigo Largo do Bonjardim) vai disponibilizar três cursos diferentes - dois para crianças e um para adultos. Os alunos entre os seis e os 13 anos vão poder usufrir de um curso de iniciação, leccionado três vezes por semana, ou de um outro de nível intermédio, duas vezes por semana. Por ter como principal objectivo estreitar os laços entre os descendentes dos imigrantes e o país dos seus pais, a escola terá, até ao final do mês, as incrições abertas só para chineses: "Vamos dar prioridade a alunos chineses e se estes não encherem as vagas [no máximo 15 por curso], abrimos aos alunos portugueses", informa o presidente da LPC. Nas aulas será não só ensinado o mandarim, o idioma oficial da China, mas também a história e a geografia do país. Estas são matérias "essenciais para os filhos dos imigrantes compreenderem as suas origens", defende Y Ping Chow. Os manuais escolares, do 1.º ao 6.º ano, foram oferecidos pelo Governo da China, que vai também apoiar com a contratação de mais professores, caso aumente o número de alunos. Por enquanto, as aulas serão leccionadas por pessoas que "não são profissionais", mas que "já dão aulas". As lições para adultos terão conteúdos programáticos próprios e serão leccionadas em horário pós-laboral. O curso estará aberto a todos os interessados, mas está mais direccionado para empresários, dado o "cada vez maior interesse" destes na língua. E como nunca se sabe se a sala de aula não poderá vir a dar início a "bons negócios", está planeada a criação de uma turma especial com "bolsas de estudo" oferecidas pela LCP a entidades ligadas à comunidade chinesa. A Liga dos Chineses em Portugal tem outros projectos para o Colégio Chinês, como a criação de aulas de Tai Chi Chuan (uma modalidade que trabalha sobretudo o relaxamento) e de música tradicional chinesa. "
.
-
Nota: Hoje mesmo recebi a notícia do início destas aulas, a partir do final deste mês, da boca do próprio mestre, vice-presidente do Instituto de Tai Chi Chuan de Chen Xiaowang _ de quem foi discípulo _ da China, e docente sénior da Escola de Tai Chi Chuan de Chen Jiagou, a aldeia onde (re)nasceu este estilo da referida arte.


<<<>>>


11.06.2008

Para Além...Dos Jardins...




<<<<<>>>>



Para Além...Dos Jardins...


...Propriedades Antioxidantes...


Descoberta de investigadores portugueses e espanhóis:
Vulgar planta de jardim tem propriedades antioxidantes
As propriedades antioxidantes descobertas por uma equipa de investigadores portugueses e espanhóis numa vulgar planta de jardim, já conhecida pelos compostos anticancerígenos, podem ser
utilizadas como aditivos alimentares e na indústria cosmética, revelou hoje à Lusa fonte do IBMC. (Lusa/siconline)

"Queremos aperfeiçoar a extracção das propriedades antioxidantes da Vinca que começam já a ser utilizadas _ não só na alimentação, mas também na cosmética.", revelou Mariana Sottomayor, investigadora do Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC). A planta, conhecida por Vinca, tem origem em Madagáscar e as infusões das folhas são utilizadas tradicionalmente para o tratamento de diabetes, febre, reumatismo, hemorragias, entre outras doenças. Os investigadores apostaram na exploração do potencial da planta na produção de compostos pouco investigados como os fenólicos com propriedades antioxidantes. Os estudos detectaram 15 novos compostos antioxidantes nunca antes encontrados. Segundo a investigadora aqueles compostos "têm estruturas pouco comuns" e o objectivo é perceber como é que as moléculas funcionam em conjunto. As propriedades anticancerígenas da planta já eram conhecidas, uma descoberta que revolucionou a cultura da Vinca com a implementação de vastas plantações em todo o mundo, em particular no hemisfério sul. "Esta planta é também muito utilizada na quimioterapia do cancro pela medicina tradicional nas populações onde cresce naturalmente", disse a investigadora. No entanto, o estudo revela que para obter alguns miligramas dos alcalóides anticancerígenos são necessárias toneladas de plantas, já que esta os produz em quantidades muito reduzidas. "Como os alcalóides são muito reduzidos sendo necessário grandes quantidades da planta a nossa aposta é em melhorar a sua produtividade", disse. A pesquisa foi desenvolvida durante um ano pelo Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC), a Faculdade de Ciências e a Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto e, em Espanha, peloo grupo de investigação do Centro de Edafologia Y Biologia Aplicada del Segura CEBAS (CSIC).



<><><><><>



11.01.2008

Para Além...Da Cinematografia...

.
.
<><><> o <><><>

Para Além...Da Cinematografia...


...David Lynch, escritor confessional...



O cineasta faz revelações pessoais no livro "Em busca do grande peixe"
O realizador norte-americano David Lynch faz revelações pessoais sobre a vida e os seus filmes no livro "Em busca do grande peixe", uma obra que enaltece os benefícios da meditação transcendental para melhorar a criatividade.

No livro agora lançado no mercado português, o cineasta admite que nem sempre é bom com as palavras, e essa foi uma das razões por que se dedicou ao cinema, arte com uma linguagem própria, a das imagens. "O cinema é uma linguagem. Consegue dizer coisas - coisas grandes, abstractas. E adoro isso em relação a ele", escreve no capítulo dedicado à sétima arte. No ano passado, David Lynch veio a Portugal participar no European Film Festival - cuja segunda edição decorre em Novembro - e proferiu uma conferência sobre Meditação e Cinema que encheu o auditório do Centro de Congressos do Estoril, sobretudo de jovens admiradores do seu trabalho. David Lynch é conhecido do grande público sobretudo pela série de televisão "Twin Peaks" e os filmes "Um Coração Selvagem", "Veludo Azul" e "O Homem Elefante".
Com 61 anos, David Lynch continua a ser muito activo na área do cinema, das artes plásticas - estudou pintura quando era jovem - e como produtor de música, mas o entusiasmo pela meditação transcendental tem estado em destaque.
No livro "Em busca do grande peixe" - o grande peixe é uma metáfora para uma grande ideia - explica que, para apanhar os pequenos, podemos ficar pelas águas pouco profundas, mas, para conseguir capturar os grandes, "temos de ir mais fundo". Para o realizador, vários elementos tornaram-se fundamentais na vida para conseguir alcançar as grandes ideias: algumas mais práticas, como dormir o suficiente, outras a um nível mais abstracto, como seguir a intuição. David Lynch enaltece sobretudo os benefícios da meditação para alcançar as grandes ideias, sublinhando que através desta prática se consegue alargar a consciência e ter acesso a níveis mais elevados de entendimento. No livro, dedica um capítulo às drogas e admite que fumou marijuana nos anos 60, quando era estudante de artes: "Todos nós queremos expansão da consciência e da felicidade. E muitas pessoas procuram-no nas drogas. Mas o problema é que o corpo, a fisiologia, se ressentem imenso com as drogas. As drogas danificam o sistema nervoso, tornando assim mais difícil conseguir essas experiências sozinho".
O livro "David Lynch - Em busca do grande peixe", com 188 páginas, tem chancela da Estrela Polar. (Lusasiconline)


<<<<<>>>>>



Para Além...De Ancestral Tradição Celta...

( CENTÉSIMA PUBLICAÇÃO! )


<><><><><>


Para Além...De Ancestral

Tradição Celta...


Tradição anglo-saxónica... em Portugal


Um pouco por todo o pais festeja-se esta sexta-feira o Dia das Bruxas, uma importação da tradição anglo-saxónica do Halloween que em muitos casos é adaptada à realidade portuguesa. Nos Estados Unidos, os festejos deste ano têm contornos pouco habituais devido à aproximação das eleições presidenciais. Disfarces de candidatos intercalam com as habituais vestimentas de bruxas, vampiros e feiticeiros. (SIConline)
Candidatos presidenciais entre bruxas, vampiros e outros disfarces

Por cá:

A aldeia de Vilar de Perdizes, em Montalegre, é considerada a capital da bruxaria em Portugal e, nesta noite, o evento é assinalado com um jantar "embruxado", seguido de teatro de rua orquestrado pela companhia Filandorra. A Associação de Defesa do Património e a Junta de Freguesia de Vilar de Perdizes prepararam uma queimada no centro da aldeia, ao final da noite.Também no norte do país, a aldeia de Cidões, concelho de Vinhais, assinala o Dia das Bruxas como manda a tradição: uma fogueira seguida de um banquete com produtos da terra oferecidos pelos locais. Mas o sul do país quer também disputar o pódio de capital da bruxaria. Em Loulé, a autarquia organiza uma "Parada do Horror", apostando na dinamização do comércio tradicional, com uma parada de cinco carros alegóricos, que incluem alunos de escolas do concelho.
Na Cerca do Convento, a animação cabe à "Halloween Party" a partir das 23h00 com a actuação do grupo La Plante Mutante. Nessa noite, as crianças vão deitar-se mais tarde já que terão um espaço na Alcaidaria do Castelo denominado "Parque Fantasma", com músicas infantis, insufláveis, concursos de máscaras e pinturas faciais.
Mas nem só de tradição se faz a festa e o tema do Halloween é uma escolha de algumas discotecas que aproveitam a véspera do Dia de Finados, como é o caso da Sardinha Biba, em Braga.
No Porto, o Café das Artes abre as portas a uma noite assombrada pelas 23h00 com oferta de três abóboras consumíveis para quem comprar o bilhete antecipadamente. As iniciativas alusivas ao Dia das Bruxas multiplicam-se por vário bares e discotecas da Invicta.
Em Lisboa, as propostas misturam sustos, diversão e uma caminhada de mortos-vivos pelas ruas da cidade.
O Jardim Botânico da Ajuda convida pais e filhos a festejar a Noite das Bruxas com o espectáculo de teatro infantil "Tom e Huck", a cargo do Grupo Animarte, e um concurso que vai premiar a melhor abóbora.





Origem do Halloween
A noite de Halloween festeja-se de 31 de Outubro para 1 de Novembro. Halloween é um termo inglês, abreviado, que deriva de Hallow eve(ning), "noite sagrada", sendo esta a designação da festa nos países anglo-saxónicos. Foi desde sempre combatida pela Igreja Católica, por estar na véspera do Dia de Todos os Santos (1 de Novembro), em particular pela Inquisição, perseguidora de todos os que mantivessem rituais antigos pagãos (rituais célticos, por exemplo) ou práticas de curandeiro. O Halloween remonta a uma tradição pagã céltica, muito antiga, que colocava o ano novo no dia 1 de Novembro, durante as festas do Samhain, de 30 de Outubro a 2 de Novembro, a comemorar o fim do Verão celta. Este festejo continuou a ser comemorado paralelamente às práticas cristãs, em particular na Irlanda católica, mas também na Escócia, Gales, Cornualha e noutras regiões de cultura céltica das Ilhas Britânicas. Foi "exportado" para os EUA e Canadá com a emigração irlandesa, principalmente depois da Grande Fome da Batata na Irlanda, entre 1845 e 1849. Naqueles países "novos" a tolerância religiosa era maior e a continuidade dos festejos pagãos, como o Halloween, não tinha barreiras culturais ou constrangimentos de outra espécie. (Fonte: Infopedia)






<<<<<>>>>>


10.26.2008

Para Além... Do Abandono Sistemático...



<<<<>>>>

Para Além... Do Abandono
.
Sistemático...


...Mosteiro beneditino em Viana no Castelo
.
reabre após obras...


O Mosteiro Beneditino de Santa Maria de Carvoeiro, em Viana do Castelo, reabre domingo, após obras de reparação e consolidação avaliadas em 250 mil euros, foi hoje anunciado. (Lusa/siconline)

A intervenção, que arrancou em Dezembro de 2007, implicou a reparação e consolidação da estrutura da nave e ainda a reposição de rebocos, drenagens e remoção de pavimentos, colocação de novo soalho, reparação e restauro de imagens e talhas, reparação total da sacristia. A Câmara de Viana do Castelo apoiou a intervenção com 20 mil euros, face ao "valor patrimonial do mosteiro para o Município". O Mosteiro Beneditino, que data do século IX e onde está sepultado o primeiro abade de Carvoeiro D. Pedro Afonso (1104), ficou na posse do Conselho Paroquial para os Assuntos Económicos em 2004, altura em que o estado de conservação do edifício "começava a preocupar" devido a uma fissura longitudinal na abóbada. Devido à complexidade do trabalho a efectuar, foi contactada a Universidade do Minho para uma futura intervenção, que ficou a cargo de Paulo Lourenço. Este templo beneditino foi reformulado em 1704 e no seu interior passou a ostentar um retábulo do altar-mor, em estilo nacional e dessa época.


><<><><><>><


10.21.2008

Para Além... Do Conceito Restrito...



<<<>>>





Para Além... Do Conceito Restrito...


...Encontro de Arte Global...


A função da arte e dos artistas em debate
O papel da arte e dos artistas na sociedade será debatido em conferências, exposições e ateliers de artistas portugueses e estrangeiros, durante o 2º Encontro de Arte Global, que começa a 1 de Novembro, em Lisboa. (Lusasiconline)

Iniciativa do Colectivo Multimédia Perve, associação sem fins lucrativos fundada em 1997 para divulgar e promover o conceito de Arte Global, este segundo encontro decorrerá até 31 de Janeiro de 2009, com actividades a estenderem-se a outros locais do país, e também ao estrangeiro. Em declarações à Agência Lusa, Carlos Cabral Nunes, mentor do primeiro encontro, realizado quase há uma década, e igualmente responsável pela direcção artística desta segunda iniciativa, assinalou que pretende relançar a reflexão sobre o crescente cruzamento das artes e o seu papel na sociedade. "A arte teve sempre um papel de liderança no mundo, transformando-o e transformando-se, mas neste momento parece que não está a ter uma resposta para os acontecimentos", observou o também artista e curador. Responsável pela primeira edição do Encontro de Arte Global, Carlos Cabral Nunes explicou que uma série de circunstâncias o levaram a considerar este o momento ideal para promover uma segunda edição, na expectativa de que venha a ser "um acontecimento mobilizador de públicos, inovador e artisticamente válido". "Esta reflexão servirá também para os artistas falarem sobre o papel que querem ter na sociedade", salientou. Na sequência de um convite do Panteão Nacional para promover uma homenagem a Mário Cesariny, falecido em 2006, o responsável decidiu evocar "o verdadeiro artista global português, que tocou todas as áreas artísticas", com uma exposição sobre a sua obra. A programação do encontro incluirá diferentes acções artísticas - a decorrer de forma faseada ao longo de três meses - envolvendo expressões que vão das artes plásticas às artes performativas, audiovisual, poesia, literatura, ciclos de debate, conferências e ateliês/workshops de abordagem ao conceito de Arte Global.
Foram convidados autores e comissários para realizarem projectos específicos, nomeadamente Boris Ognianov Danailov (Bulgária), Chris Hales (Reino Unido), Fernando Aguiar (Portugal), João Garcia Miguel (Portugal), Olga Marcinkiewicz (Polónia), Pilvi Kalhama (Finlândia), Tomás Vlcek (República Checa) e Vítor Rua (Portugal), entre outros. Centrada em Lisboa, na zona de Alfama, a programação irá estender-se a outros pólos nacionais, como a Biblioteca Municipal de Loulé, e também internacionais, em Sófia e em Dacar.
No teatro, está prevista a apresentação de "A Velha Casa", de Luís Pacheco, encenado por João Garcia Miguel, entre 14 de Novembro e 20 de Dezembro, em sessões contínuas a partir das 21h00 num edifício devoluto da Junta de Freguesia de Santo Estêvão, em Alfama.
Também serão realizadas várias exposições na Perve Galeria, colóquios sobre arte intitulados "Conversas no Coro Alto", e um ciclo de "Intervenção e Performance" comissariado por Fernando Aguiar entre Dezembro e Janeiro. Carlos Cabral Nunes destacou ainda dois ateliers sobre Arte Global dirigidos por Chris Hales - criador que usa o multimédia interactivo - em parceria com vários artistas e curadores nacionais, em Novembro e Janeiro. A participação nos ateliers e nas conferências está sujeita a inscrição prévia através do sítio online da organização, http://www.perve.org.pt/.


<><><><><>